Estudo indica que existem mais planetas do que estrelas na Via Láctea


  • Uma equipe internacional de astrônomos levou seis anos, com a ajuda de um método chamado microlente gravitacional, para determinar o quão comuns são os planetas na Via Láctea.

Segundo os pesquisadores, que apresentam o resultado em um artigo na revista especializada Nature, existem bilhões de planetas que orbitam estrelas - ou seja, eles são a regra, e não a exceção, na nossa galáxia.

As informações são do Observatório Europeu do Sul (ESO, na sigla em inglês).

'Durante seis anos procuramos evidências de exoplanetas a partir de observações de microlentes. Curiosamente, os dados mostram que os planetas são mais comuns na nossa galáxia do que as estrelas. Descobrimos também que os planetas mais leves, tais como superterras (que têm massas entre duas e 10 vezes maior que a da Terra) ou Netunos frios, são mais comuns do que os planetas mais pesados', diz Arnaud Cassan, do Instituto de Astrofísica de Paris e principal autor do artigo.

Nos últimos 16 anos, os astrônomos detectaram planetas principalmente através de dois métodos: o registro da diminuição de brilho de uma estrela durante a transição do planeta e o efeito gravitacional deste naquela.

Contudo, dessas duas maneiras, apenas planetas de massa muito grande ou que estão muito próximos às estrelas são encontrados.

'Anteriormente ao estudo pensava-se que a Terra seria a única na nossa Galáxia. Mas agora parece que literalmente bilhões de planetas com 'massas semelhantes à da Terra' orbitam estrelas da Via Láctea', diz Daniel Kubas, coautor do artigo científico.



0 comentários:

Post a Comment