Pesquisa indica que longas viagens ao espaço podem prejudicar o cérebro e acelerar o mal de Alzheimer nos astronautas

  • As longas viagens ao espaço podem expor os astronautas a níveis de radiação cósmica prejudiciais ao cérebro e acelerar o mal de Alzheimer, indicou um estudo financiado pela Nasa (Agência Espacial Norte-Americana).

A pesquisa exigiu submeter ratos a variadas doses de radiação, incluindo níveis comparáveis aos que os astronautas experimentariam durante uma missão a Marte.

Os ratos expostos à radiação foram muito mais propensos a não conseguir lembrar objetos ou lugares, o que sugere uma deterioração neurológica precoce.

Os cérebros dos ratos também mostraram sinais de alterações vasculares e uma maior acumulação da beta-amilóide, a proteína que se acumula no cérebro e que é uma das características do mal de Alzheimer.

'A radiação cósmica galáctica representa uma ameaça importante para os futuros astronautas', disse Michael O'Banion, professor da Universidade de Rochester, nos Estados Unidos, que liderou a pesquisa publicada na revista científica PLoS ONE.

Uma vez que os astronautas saem da órbita terrestre, eles ficam expostos a uma chuva de diferentes radiações.

Veja abaixo astronautas dentro da ISS (Estação Espacial Internacional):




0 comentários:

Post a Comment