Astrônomos conseguiram determinar - pela primeira vez - como é o interior de um asteroide com suas diferentes densidades


  • Astrônomos no Chile obtiveram as primeiras evidências sobre a variada estrutura interna de um asteroide, um feito que ajudará a compreender os corpos rochosos do sistema solar e reduzir o risco de colisões com a Terra, informou no dia 5.2.14 o Observatório Europeu Austral (ESO).

Mediante imagens do asteroide Itokawa, obtidas entre 2001 e 2013 pelo telescópio NTT (New Technology Telescope) do ESO, localizado no norte do Chile, uma equipe de astrônomos de Reino Unido, Estados Unidos e Espanha descobriu que o asteroide - que tem o curioso formato de um amendoim - é composto de duas partes com densidades diferentes.


'É a primeira vez que fomos capazes de determinar como é o interior de um asteroide', explicou Sthepen Lowry, astrônomo da Universidade de Kent, no Reino Unido, e membro da equipe.

Até agora, as propriedades do interior dos asteroides só podiam ser inferidas usando medições de densidade total.

Conhecer o interior dos asteroides também pode lançar uma luz sobre o que acontece quando estes corpos se chocam com o Sistema Solar, e fornecer pistas sobre como os planetas se formam.

Além disso, o estudo 'poderia ajudar nos trabalhos que se desenvolvem para reduzir o risco de colisão de asteroides com a Terra ou nos planos de futuras viagens para estes corpos rochosos'. 

Na imagem abaixo, as diferentes densidades encontradas na estrutura de Itokawa, um asteroide com órbita que cruza a do planeta Marte. 

Itokawa dos tipos de superfície. 

Uma mais lisa, formada por areia e pedras menores. 

E outra mais irregular, com relevo acidentado e rochas sólidas. 

Veja:





















0 comentários:

Post a Comment